PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Segunda-Feira, 08 de Julho de 2019, 10h:30
Tamanho do texto A - A+
AGRONEGÓCIO
PREÇO Twitter

Algodão: Apesar da melhora de 3,4% no VBP, setor afirma queda de 30% na área plantada

Por: AGRONEWS

REPRODUÇÃO

ALGODAO

 

Imea divulgou a terceira estimativa de 2019 para o valor bruto da produção (VBP) referente ao mês de junho, trazendo nesta nova perspectiva revisões, principalmente para o algodão de Mato Grosso.

 

O Imea – Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária – divulgou a terceira estimativa de 2019 para o valor bruto da produção (VBP) referente ao mês de junho, trazendo nesta nova perspectiva revisões, principalmente para o algodão de Mato Grosso. Segundo o relatório, o novo panorama aponta uma alta de 3,48% em relação à última previsão de R$ 11,98 bilhões, sendo assim a nova projeção para a safra está prevista em R$ 12,39 bilhões.

 

“Essa alta do VBP do algodão se dá em decorrência da melhora nos preços negociados até o momento, aliada ao aumento da estimativa de produção da pluma para a safra 2018/19. Desta forma o algodão vem se destacando na agricultura do estado em 2019, se mantendo como o segundo segmento economicamente mais importante para Mato Grosso”, analisa o instituto.

 

Para os próximos relatórios, o fator preço poderá continuar influenciando na projeção do valor bruto de produção, visto que a oscilação do dólar tem contribuído para isso.

 

Pacote de impostos do governo preocupa setor

O Governo estadual encaminhou ao parlamento a mensagem nº 114/2019 com o Projeto de Lei Complementar (PLC 53/2019), que está sendo considerada pelo setor, como uma nova reforma tributária em Mato Grosso.

 

Os números apresentados pelo IMEA durante a audiência pública realizada na última terça-feira(02), quando agrupados diretamente, mostram um aumento de 41,4% na arrecadação, o que representa R$ 339 milhões de reais a mais em impostos para o setor produtivo.

 

Veja como serão os impactos:

 

Algodão: com o aumento da alíquota do PROALMAT de 3% para 4,8%, haverá um acréscimo de R$ 53,8 milhões na arrecadação do setor;

 

Carne Bovina: sai da isenção para um acréscimo de 7% de impostos, isso representa R$ 128,8 milhões a mais na arrecadação. Lembrando que somente 10% do total de carne que é produzida, fica no estado, 65% é destinado ao comércio interestadual(com aumento de alíquota de 2,5% para 3%) e o restante, 25% vai para exportação (isento pela Lei Kandir);

 

Carne Suína: também deixará de ser isenta para aumentar em 5% a alíquota, isso representa um acréscimo de R$ 13,2 milhões em arrecadação;

 

Frango: antes isenta, terá um acréscimo de 5% a mais de impostos, isso representará um aumento de R$ 30,7 milhões;

 

Energia Rural: a carga atual do típico produtor rural de MT é de 3%, com a nova proposta este percentual será de 17%, um aumento de mais de 5X na arrecadação, representando R$ 65,7 milhões a mais;

 

Etanol: com alíquota atual de 10,5%, passará para 12,5%, representando R$ 47,2 milhões em acréscimos.

Twitter

PUBLICIDADE



Edição 208 Dezembro de 2019

PUBLICIDADE

Enquete
COLUNISTA
BLOGS MAX
  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE


PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

© 2019 - Notícia Max - Todos os direitos reservados