PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Quarta-Feira, 17 de Julho de 2019, 20h:46
Tamanho do texto A - A+
CIDADES
CRISE Twitter

Dívida da UFMT com energia elétrica é de R$ 5 milhões, segundo reitora

Por: G1/MT

Olívia Pires/TVCA

 

A reitora da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Myrian Serra informou, nesta quarta-feira (17), que a dívida com a concessionária de energia elétrica é de aproximadamente R$ 5 milhões. Segundo ela, esse montante vem sendo acumulado desde 2015.

 

As declarações da reitora foram feitas após a suspensão do fornecimento de energia nos seis Campus da instituição em todo o estado. Foram 8 horas sem energia.

 

Myrian disse ainda que a dívida já foi renegociada no passado. Entretanto, por atrasos no pagamento de contas, outra negociação foi feita este ano.

 

"Nós tínhamos uma agenda com a concessionária nesta quinta-feira (18), justamente para tratar o pagamento da fatura. Na segunda-feira, havia informado que estava cumprindo compromissos no interior e foi surpreendida no Campus Araguaia, quando a energia foi cortada", declarou ela.

 

No entanto, segundo a reitora, na semana passada, a UFMT havia encaminhando um ofício para o Ministério da Educação (MEC) informando a dívida e a possibilidade de corte. Foi autorizado um recurso no valor de R$ 4,5 milhões, na sexta-feira (12). Porém, seria necessário uma ordem de pagamento para que a administração conseguisse ter acesso ao dinheiro e pagar a conta.

 

Na terça-feira (16), quando houve o corte no fornecimento, o MEC entrou em contato com a reitora questionando a falta de energia. Ela informou que o dinheiro para o pagamento da conta ainda não havia sido liberado.

 

Dessa forma, o MEC liberou um recurso no valor de R$ 1,8 milhão, que era o total da dívida. O vice-reitor Evandro Soares foi até a concessionária e levou um documento que comprovava a liberação do recurso, assim como o compromisso de pagar a fatura. Dessa forma, a empresa religou a energia nos Campus.

 

Do total de recurso autorizado, a reitoria ainda aguarda a liberação de R$ 2,7 milhões para pagar outras dívidas.

 

"Temos mais de 90 contratos com prestadores de serviço e precisamos pagá-los. Desde 2017, o orçamento da universidade não vem sendo cumprido, temos recebido apenas parte do que é estimado e, dessa forma temos que priorizar alguns pagamentos", afirmou.

 

O custo da energia elétrica para a UFMT é de R$ 21 milhões por ano. Segundo a reitora, a instituição vem trabalhando para reduzir os custos e desenvolvendo projetos para implantação de energia sustentável.

 

Corte

O fornecimento de energia foi suspenso, na terça-feira (16), em Cuiabá, Várzea Grande, Barra do Garças, Rondonópolis e Sinop, além da Base de Pesquisa do Pantanal e de duas casas que abrigam estudantes do interior e de outros estados, por meio do auxílio moradia.

 

A falta de energia afetou ainda o hospital veterinário, que funciona dentro do Campus Cuiabá. Os donos dos animais que estavam em tratamento foram acionados para buscar os bichos que estimação, em razão da falta de condições de mantê-los no local.

 

Também em razão da falta de energia, não foi servido jantar, nesta terça, no Restaurante Universitário.

 

A energia foi restabelecida no início da noite, após 8 horas de fornecimento suspenso.

Twitter

PUBLICIDADE



Edição 191 Agosto de 2019

PUBLICIDADE

Enquete
COLUNISTA
BLOGS MAX
  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE


PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

© 2019 - Notícia Max - Todos os direitos reservados