PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Segunda-Feira, 18 de Novembro de 2019, 14h:07
Tamanho do texto A - A+
ECONOMIA
COMÉRCIO MT Twitter

Aumento da carga tributária a partir de janeiro é o que mais preocupa os empresários para 2020

Por: Redação

 

Empresários mato-grossenses continuam preocupados de como será o ano de 2020, a partir do aumento da carga tributária instituída pelo Governo Estadual, por da Lei Complementar 631/19, que começa a vigorar em janeiro. Neste momento estão sendo definidos os percentuais que serão estabelecidos nos produtos e, em alguns setores, o aumento pode chegar a 90%.

 

"Temos feito reuniões com nossos associados para esclarecer os principais pontos alterados com a minirreforma tributária estadual. A grande preocupação dos empresários é em relação às dificuldades de competição das empresas, principalmente com o mercado eletrônico”, explicou o presidente da Federação das Associações Comerciais e Empresariais de Mato Grosso (Facmat) e da Associação Comercial e Empresarial de Cuiabá (ACC), Jonas Alves, durante reunião mensal da diretoria das entidades, na última semana, em Cuiabá. 

 

Segundo ele, a sobrevivência das empresas, com o status e custos que elas terão, frente ao avanço do governo na margem dessas empresas, são os pontos mais impactantes. "Tanto o comércio de rua, quanto os dos shoppings centers sofrerão drásticos reajustes nas suas margens tributárias. Todos terão um aumento significativo da carga tributária, especialmente as empresas que estão fora do Simples Nacional”, completou o presidente.

 

O assessor contábil Clayton Leão lembrou ainda que além do aumento dos impostos, a reforma tributária estadual modifica os meios operacionais das empresas, sendo de extrema importância que os empreendedores fiquem atentos ao prazo que vai até 31 de dezembro, para realizar as mudanças de software que devem estar em operação já no dia 02 de janeiro de 2020.

 

“Os empresários estão com uma rotina desde 2002, mas que será modificada, e essas alterações devem estar finalizadas até o dia 31 de dezembro”, explica Leão, ao lembrar que dezembro é o mês de maior venda do comércio e as empresas precisam se habituar ao software para conseguir fazer o cálculo diferenciado de débito e crédito no ano que vem, além de refazer algumas obrigações acessórias que as empresas têm com a Sefaz e o o fisco estadual. "Tudo isso no período de 30 dias”, alertou o contador.

 

A Associação Comercial de Cuiabá está preparando uma cartilha para lembrar os empresários das suas obrigações, onde serão colocados pontos importantes para o comerciante, como por exemplo, ter que reformular o preço de venda, fazer um levantamento do estoque, o parcelamento estadual, o mutirão que está ocorrendo até o dia 29 de novembro, entre outros. 

 

Para o empresário Raul Homem M. de Carvalho, o aumento dos impostos impactará diretamente na competitividade e na redução dos investimentos das empresas. “Estamos todos na expectativa dessa fixação da margem dos tributos nos produtos, mas sabemos que irá impactar na sobrevivência dos negócios e na competitividade, por conta do comércio de fora do Estado, através do e-commerce. Além disso, ninguém quer arriscar e investir”, comentou. 

 

Outros Assuntos

 

A reunião mensal da diretoria da Facmat e da ACC também abordou a finalização do aplicativo da Associação Comercial de Cuiabá, que já pode ser baixado pelo Google Play e Apple Store, e que contém informações sobre as empresas associadas e para aqueles que querem fazer parte da entidade, bem como conhecer os benefícios, dicas culturais da Capital e região, dentre outras novidades.

 

A gerente da ACC, Samanta Fernandes, também apresentou o balanço da Campanha do Dia das Crianças, que mobilizou a diretoria e parceiros e arrecadou mais de 300 brinquedos que foram doados para o Instituto de Recuperação, Proteção e Amparo a Mulher Ana Neri (Irpamdeq), no bairro Planalto, em Cuiabá. “A ação durou pouco mais de 20 dias e conseguimos uma ótima repercussão, por isso, iremos manter eventos como esse no próximo ano, que tem a finalidade social”, disse.

 

Estiverem presentes na reunião mensal além do presidente Jonas Alves, os diretores Robério Cademartori, Roberto Peron, Raul Homem M. de Carvalho, Manuel Gomes da Silva, Cibele Marcia Rodrigues, Orivaldo Julio Alves (vereador Orivaldo da Farmácia), o contador Clayton Leão e o advogado Rafael Furman, além de Samanta Fernandes e da secretária-executiva da Facmat, Rita Matos.

Twitter

PUBLICIDADE



Veja mais sobre este assunto:

Edição 208 Dezembro de 2019

PUBLICIDADE

Enquete
COLUNISTA
BLOGS MAX
  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE


PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

© 2019 - Notícia Max - Todos os direitos reservados