PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Sexta-Feira, 04 de Janeiro de 2019, 17h:41
Tamanho do texto A - A+
ESPORTE
NA HOLANDA Twitter

Etapa da Holanda é o primeiro desafio das duplas brasileiras em 2019

Por: Da redação, no Rio de Janeiro (RJ)

Vôlei Areia

 

A etapa de Haia (Holanda), que acontece a partir desta quarta-feira (02.01) e segue até domingo (06.01) abre a participação das duplas brasileiras no Circuito Mundial 2019. A competição nível quatro estrelas ainda não conta pontos para a corrida olímpica brasileira, mas os resultados obtidos no torneio podem ser importantes para o ranking de entradas e consequentemente o chaveamento em eventos futuros.

 

Além disso, a competição conta com um diferencial, sendo disputada em um ginásio fechado. Será o segundo ano consecutivo que Haia abre o calendário do Circuito Mundial. Três duplas brasileiras já estão garantidas na fase de grupos, e uma quarta busca vaga no classificatório.

 

No masculino, Pedro Solberg/Bruno Schmidt (RJ/DF) e Ricardo/Álvaro Filho (BA/PB) estão na fase de grupos e começam a jogar a partir de sexta-feira (04.01). Márcio Gaudie/Vinícius Resende (RJ/ES) tenta a vaga no classificatório, que contará com rodadas nesta quarta e na quinta (03.01). No feminino, Ana Patrícia/Rebecca (MG/CE), garantidas na fase de grupos, jogam a partir de quinta.

 

Para estarem na disputa, as duplas brasileiras passaram a virada do ano já na Holanda, ou dentro de um avião, tudo em busca de bons resultados representando o Brasil. O campeão olímpico Ricardo, que passou o réveillon viajando, comentou a experiência.

 

“Neste momento de confraternização sempre queremos estar próximos da família, mas a vida do atleta, desde o início, é de abdicação. Trocamos isso por sonhos. Estou feliz e confiante na parceria com o Álvaro Filho e por isso estamos correndo atrás. Vamos buscar a adaptação ao torneio em quadra fechada e climatizada da maneira mais rápida”, disse o baiano, que comemora no próximo domingo 44 anos.

 

As duplas campeãs em Haia recebem 800 pontos no ranking geral da Federação Internacional de Voleibol (FIVB), além de cerca de R$ 78 mil em premiações. Em 2018, Carolina Solberg e Maria Elisa (RJ) ficaram com a prata no torneio. Em oito etapas realizadas em Haia, o Brasil soma 23 medalhas (10 de ouro, cinco de prata e oito de bronze).

 

O torneio em Haia será disputado em quadras cobertas, montadas em um ginásio. Os jogos serão disputados no complexo esportivo de Zuiderpark com todas as quadras em local fechado, já que a temperatura na cidade está próxima de 5ºC. A arena já recebeu etapas da Liga Mundial de voleibol indoor e edições da Copa Davis, de tênis.

 

São 32 duplas em cada gênero, sendo que 24 já estão classificadas pelo ranking, enquanto outras oito garantem a vaga na disputa do classificatório. Os times jogam entre si na chave, com os primeiros avançando direto às oitavas de final, enquanto segundos e terceiros disputam a repescagem. As finais do naipe masculino e feminino ocorrem no domingo.

 

O Brasil é o atual campeão do Circuito Mundial no naipe feminino, com Ágatha e Duda (PR/SE). Após a etapa da Holanda, o próximo desafio das duplas brasileiras será pelo Circuito Sul-Americano, com a etapa de São Francisco do Sul (SC), de 18 a 20 de janeiro, e em seguida com o Circuito Brasileiro Open, na etapa de São Luís (MA), de 23 a 27 de janeiro.

Twitter

PUBLICIDADE



Veja mais sobre este assunto:

Edição 170 Março de 2019

PUBLICIDADE

Enquete
COLUNISTA
BLOGS MAX
  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE

  • PUBLICIDADE


PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

© 2019 - Notícia Max - Todos os direitos reservados