Cuiabá, 14 de Julho de 2024
Notícia Max
14 de Julho de 2024

ENTRETENIMENTO Quarta-feira, 10 de Julho de 2024, 13:48 - A | A

Quarta-feira, 10 de Julho de 2024, 13h:48 - A | A

Desabafo

Atriz de “Renascer” desabafa após ser identificada com sexo masculino em exame

Em janeiro, Gabriela Loran passou pela cirurgia de redesignação sexual na Tailândia

Atriz de “Renascer”, Gabriela Loran, 30, fez um desabafo nas redes sociais nesta quarta-feira (10) após ser identificada com o gênero masculino pelo laboratório em que fez um exame médico.

Na publicação, compartilhada em seu perfil no Instagram, a artista citou a dificuldade de viver no Brasil sendo uma mulher transexual.

“Hoje olhando meus exames de sangue me deparei com esse MASCULINO. […] É, meus amores, não é nada fácil viver no Brasil carregando o fardo de ser uma pessoa trans, digo ‘fardo’, não por ser, mas, sim, pelo despreparo dessa sociedade”, começou o desabafo.

Na sequência, Gabriela disse ser desanimador buscar por auxílio médico e se deparar com todas essas violências. “Sigo aqui sem saber o que fazer e um tanto exausta de tudo isso”, declarou.

A atriz, que já teve sua certidão de nascimento retificada com o novo nome e gênero alterado para o sexo feminino, também lembrou que, ao buscar por atendimento médico na Tailândia, recebeu o tratamento adequado.

Em janeiro, no país, a atriz passou pela cirurgia de redesignação sexual. Após o procedimento, ela celebrou a primeira vez que fez xixi

“Em contrapartida, também coloco nesse carrossel os exames que fiz na Tailândia, onde vemos a forma humanizada que fui tratada. E reforço ainda mais esse post com a foto da minha certificação JÁ RETIFICADA. O que faço agora? Deixo tudo de lado e ignoro a minha saúde? São tantos desgastes”, acrescentou.

Leia o texto na íntegra:

Hoje olhando meus exames de sangue me deparei com esse MASCULINO. Exames esses solicitados pelo endócrino que infelizmente não vai poder analisa-lo pelo simples fato de não ter conhecimento o suficiente pra me atender. É meus amores não é nada fácil viver no Brasil carregando o fardo de ser uma pessoa trans, digo “fardo” não por ser mas sim pelo despreparo dessa sociedade. Não estou me colocando num lugar de vítima, muito pelo contrário, se tem uma pessoa que não desiste nunca SOU EU. Mas tem coisas que vão além do meu querer… É tão desanimador buscar auxílio médico e se deparar com todos essas violências. Mas é aí que você percebe o motivo de muitas pessoas como eu não buscarem ajuda médica. É questão de saúde pública, médicos desumanizados, despreparados. Ainda estou falando tudo isso dentro do prisma que é ter plano de saúde. Em contra partida também coloco nesse carrossel os exames que fiz na Tailândia onde vemos a forma humanizada que fui tratada. E reforço ainda mais esse post com a foto da minha certidão JÁ RETIFICADA. O que eu faço agora? Pago um médico particular? Mesmo já tendo plano de saúde? Vou no laboratório reclamar pelo “Masculino”? Deixo tudo lado e ignoro minha saúde? São tantos desgastes… isso por que ainda entendo que sou uma pessoa que tem muitos acessos, mas fica notório que independente dos acessos que você tenha essas pequenas violências chegam até você. Sigo aqui sem saber o que fazer e um tanto exausta de tudo isso. Por que toda vez que entro em uma consultório médico, já entro com aquele frio na barriga e pronta pra me defender… é um estado de alerta constante.

Captura de tela 2024-07-10 154001.png

 

Captura de tela 2024-07-10 154012.png

 

Captura de tela 2024-07-10 154315.png

 

Captura de tela 2024-07-10 154318.png

 

Captura de tela 2024-07-10 154325.png

 

Captura de tela 2024-07-10 154330.png

 

 

 

 

CLIQUE AQUI e faça parte do nosso grupo para receber as últimas do Noticia Max.

0 Comentários