Cuiabá, 18 de Junho de 2024
Notícia Max
18 de Junho de 2024

POLÍTICA & PODER Quarta-feira, 26 de Maio de 2021, 10:24 - A | A

Quarta-feira, 26 de Maio de 2021, 10h:24 - A | A

DEBATE

Assembleia instala Frente da Agropecuária

Ela tem o objetivo de debater em conjunto com sociedade civil, entidades representativas e órgãos públicos as demandas dos setores produtivos

Redação

Criada com o objetivo de discutir os principais temas de interesse do setor e contribuir para o desenvolvimento sustentável do agronegócio em Mato Grosso, a Assembleia Legislativa instalou, na manhã dessa terça-feira (25), a Frente Parlamentar da Agropecuária. Ela tem o objetivo de debater em conjunto com sociedade civil, entidades representativas e órgãos públicos as demandas dos setores produtivos e propor políticas públicas relacionadas às áreas ambiental, comercial e tributária no estado.

A frente parlamentar será presidida pelo deputado estadual Xuxu Dal Molin (PSC) e terá como membros os parlamentares Dilmar Dal Bosco (DEM), Valmir Moretto (Republicanos), Nininho (PSD) e Gilberto Cattani (PSL).

“Existem várias questões socioeconômicas e ambientais, que envolvem a cadeia da agropecuária no estado, sendo debatidas em outras comissões da Assembleia Legislativa. O objetivo desse colegiado é aprofundar esses estudos para, principalmente, agilizar a elaboração de soluções. O setor produtivo de Mato Grosso depende dos resultados desse trabalho para avançar na economia”, afirmou o presidente.

Dentre as prioridades para agenda de discussões, Xuxu citou a questão da infraestrutura que segue como uma das principais preocupações, mas ele também destacou a crise hídrica que o estado enfrenta e que pode comprometer as próximas safras, além das questões ambientais que impactam na competitividade dos produtos nos mercados estrangeiros. “A palavra de ordem é sustentabilidade, mas também precisamos melhorar o custo Brasil e o custo Mato Grosso, que pesam sobre preço final dos produtos e encarecem os alimentos que chegam ao povo”, defendeu. “Não adianta Mato Grosso ficar cada vez mais rico, ver crescer a arrecadação, se o povo esta ficando cada vez mais pobre. E, alimento caro realmente faz a diferença lá na ponta e o povo sofre”, concluiu.

“Esse é um colegiado muito importante porque vai debater em conjunto com a Câmara do Deputados e o Senado para tratar sobre as questões macro, principalmente sobre a elaboração das legislações”, destacou Dal Bosco. Ele citou questões como a criação do zoneamento socioeconômico ecológico, a lei do pantanal e as mudanças na lei do licenciamento ambiental, como temas que precisam ser discutidos em conjunto nas esferas estaduais e federais, além das autoridades competentes e sociedade organizada para aprimorar a legislação estadual e fomentar o desenvolvimento econômico e social sustentável dos setores produtivos.

“É preciso lembrar que essa frente parlamentar defende o setor como um todo, desde os pequenos até os grandes, que começaram pequenos também”, destacou o deputado Gilberto Cattani. Ele enfatizou que não tem como falar de agricultura e agropecuária, sem considerar as demandas dos pequenos produtores. “Todos são muito importantes e precisam de politicas que ajudam a melhorar esse trabalho, que é base da economia de Mato Grosso” enfatizou.

Representando o estado participaram o secretário de Desenvolvimento Econômico, César Miranda e a secretária de Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti, que defendeu o diálogo integrado entre as questões ambientais e de preservação em conjunto com as demandas de desenvolvimento do setor produtivo rural. “Em Mato Grosso, essas pastas trabalham em parceria, porque o estado precisa crescer sem desconsiderar os cuidados de conservação e preservação”, afirmou. Segundo ela, o principal desafio passa pela elaboração das normativas que melhoram os mecanismos de execução da politica ambiental, além de regulamentar as questões de impacto comum. “O objetivo do governo do estado é conduzir essas políticas públicas de modo a permitir que o setor produtivo se desenvolva de forma sustentável, passando a mensagem para o mundo de que é possível ser o maior produtor de alimentos do mundo e respeitar as normas ambientais garantindo a riqueza natural do estado” defendeu.

Também participaram da reunião de instalação o deputado Carlos Avallone (PSDB), os senadores Wellington Fagundes (PL-MT) e Jayme Campos (DEM-MT), que ressaltaram a importância da parceria nos diálogos para elaboração de projetos e leis no âmbito federal que contribuam com o desenvolvimento do estado. Além de representantes do setor econômico e produtivo como Fórum Agro, Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Mato Grosso (Fecomércio-MT), Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato) e Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (​Aprosoja-MT) , entre outros.

 

CLIQUE AQUI e faça parte do nosso grupo para receber as últimas do Noticia Max.

0 Comentários