Cuiabá, 14 de Julho de 2024
Notícia Max
14 de Julho de 2024

POLÍTICA & PODER Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016, 09:27 - A | A

Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016, 09h:27 - A | A

DEPOIMENTO DE GUIZARDI

Maluf rebate declarações e diz que vai processar delator

Da Redação

 

O presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, deputado estadual Guilherme Maluf (PSDB), rebateu as declarações do empresário Giovani Guizardi em colaboração premiada na Operação Rêmora, e afirmou que irá acionar na Justiça aqueles que envolveram seu nome nas fraudes a licitações de obras da Secretaria de Educação do Estado (Seduc).

Maluf se colocou a disposição do Ministério Público Estadual e Judiciário para esclarecer os fatos reclamando do fato de Guizardi não ter apresentado nenhuma prova no depoimento dado no mês de novembro aos promotores e delegados do Gaeco (Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado). "Me sinto indignado porque esta delação foi extremamente fantasiosa e mentirosa envolvendo meu nome e de minha família. Estou decepcionado porque uma vida pública e privada limpa construída com muito trabalho pode ser colocada e exposta assim sem que nada de concreto fosse apresentado", disse ao programa Resumo do Dia (TV Brasil Oeste).

O deputado negou veementemente que tenha participado de qualquer irregularidade na Secretaria de Estado de Educação. “Meu único relacionamento com a pasta foi de ter indicado pela cota do PSDB, os nomes de Wander Reis e Moisés Dias para ocuparem cargos comissionados na Seduc. Duas pessoas com vasta experiência no poder público, e especificamente na Educação”, afirmou o parlamentar, por meio da assessoria de imprensa.

Quanto a eles, o tucano ainda ressalta que acredita que possam ser inocentes. Maluf afirma que desconhece as motivações que possam ter levado à citação de seu nome e sugere que essa possa ter sido uma forma do delator tentar aliviar sua penalização.

Maluf também negou que tenha recebido dinheiro ilícito. “Nunca recebi dinheiro ilícito do meu primo Alan Malouf e nem de qualquer outro cidadão, e muito menos participei de qualquer reunião com empresários que prestavam serviço na Seduc. Lamento que meu nome e o da minha família sejam prejudicados por uma delação sem absolutamente nenhuma prova concreta”, avaliou.

 

CLIQUE AQUI e faça parte do nosso grupo para receber as últimas do Noticia Max.

0 Comentários