Cuiabá, 25 de Junho de 2024
Notícia Max
25 de Junho de 2024

CIDADES Segunda-feira, 20 de Maio de 2024, 08:07 - A | A

Segunda-feira, 20 de Maio de 2024, 08h:07 - A | A

solidariedade

Estudantes adventistas já arrecadaram mais de 8 toneladas de doações a serem destinadas ao RS

Uma carreta com os materiais já está agendada para sair em direção ao Rio Grande do Sul no próximo dia 23 de maio, porém, o volume de doações foi tão grande que o veículo já ficou pequeno para comportar os materiais

Valdemar Félix

As fortes chuvas que atingem o estado do Rio de Grande do Sul já provocaram 151 mortes e 104 pessoas estão desaparecidas. Além disso, o número de pessoas em abrigos passou de 79.494. Dos 497 municípios do estado, 446 foram afetados, o que corresponde a 89,7% do total. A tragédia despertou uma onda de solidariedade Brasil afora, com órgãos públicos entidades privadas, clubes de futebol, igrejas e outras instituições organizando campanhas de doações.

Em Mato Grosso, as escolas da Educação Adventista uniram forças em uma campanha de arrecadação de recursos em parceria com a Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (ADRA).

O diretor da Escola Adventista Centro América, professor Daniel Júnior, explica que dentro do protocolo da instituição existe a agência de missões, sendo que hoje nas unidades escolares adventistas os estudantes participam de uma agência que foi criada para ações de colaboração e ajuda humanitária, tanto interna quanto externa.

“A partir da situação ocorrida no Rio Grande do Sul, prontamente organizamos nossa agência de missão para criar estratégias de apoio. Nisso surgiu de forma macro a ideia de unir as forças em todas as unidades escolares de Mato Grosso, afim de trazer os resultados de arrecadações em grande quantidade”, pontuou.

Reprodução

 

Conforme Daniel, a comunidade escolar é muito parceira, e sendo assim começaram a fazer as doações que até o momento totalizam mais de 8 toneladas de materiais arrecadados nas três unidades de Cuiabá e dos demais municípios do Estado.

Uma carreta com os materiais já está agendada para sair em direção ao Rio Grande do Sul no próximo dia 23 de maio, porém, o volume de doações foi tão grande que o veículo já ficou pequeno para comportar os materiais, e Daniel afirma que está em busca de uma parceria para enviar o excesso de carga.

Ele explica que até o dia 22 haverá o ‘corte’ para a primeira contagem dos materiais arrecadados, mas que as doações poderão continuar a ser encaminhadas às unidades escolares. “Se houve mais doações, continuaremos recebendo e mandando por esses parceiros que estamos contactando”.

Entre os materiais arrecadados estão uma variedade de itens essenciais, incluindo material de limpeza e higiene, roupas de frio e cobertores, alimentos não perecíveis, ração, móveis e eletrodomésticos.

“Esta iniciativa é um exemplo para estudantes de como a comunidade pode se unir para fornecer apoio prático e emocional em momentos de crise”, enfatiza o Profº Gilnei Maciel, líder da Educação Adventista no Leste do Estado. "Estamos profundamente gratos pela resposta calorosa e solidária de nossos estudantes, suas famílias e a comunidade em geral", acrescenta.

Reprodução

 

Daniel reforça que cada colégio adventista é um ponto de arrecadação, sendo que aqueles que quiserem fazer a sua doação pode se dirigir a uma das unidades de ensino, onde o material será separado e organizado para posteriormente ser destinado ao Rio Grande do Sul.

Aqueles que quiserem ajudar com algum valor em dinheiro, também é possível. Conforme Daniel, a parceria com a Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (ADRA), que é gerenciado pela Igreja Adventista, disponibilizou uma conta para envio via PIX.

“A ADRA, inclusive, está com um polo no Rio Grande do Sul fazendo a coleta, separação, distribuição. Temos uma carreta da ADRA que é um ponto de cozinha e lavanderia dentro da carreta, fazendo toda essa preparação e atendimento para essas famílias. E os valores que são destinados os gerentes dessa agência consegue destinar para aquilo que é mais importante para o momento, aqueles que quiserem fazer a sua doação, o PIX é [email protected]”, afirma.

A estudante Emanuele Silva Santos é a responsável pela organização e contabilidade das doações realizadas na Escola Adventista, e relata que todos os dias mais e mais materiais chegam para serem encaminhados às famílias afetadas pelas enchentes no Rio Grande do Sul.

“Todos os dias quando chego, sempre tem muitos materiais doados, e muitas vezes fico até mesmo emocionada, porque começo a organizar, a contas os materiais, e sei que estou ajudando as pessoas, e que tem muita gente que está precisando lá. Muitas vezes temos muitas coisas aqui e não damos valor, e eles lá precisando, e nossa campanha está tendo uma resposta positiva”, frisou a estudante.

Para aqueles que desejam contribuir para a causa, as doações estão sendo recebidas nas seguintes escolas adventistas em Mato Grosso:
Em Cuiabá
- No bairro CPA: R. Ceará, 292 · (65) 3027-5477
- No bairro Porto: R. Cmte. Costa, 2521 · (65) 3051-2411
- No bairro Centro América (nova sede): R. Osório Duque Estrada, S/N · (65) 3021-7800

Em Várzea Grande
- No bairro Jardim Glória: R. da Bondade, 182 - Jardim Gloria L · (65) 3362-1399
- No Centro Norte: R. Manoel Olímpio Curvo, 56 · (65) 3362-1399

Em Rondonópolis
- Colégio Adventista, R. Afonso Pena, 806 · (66) 3024-5106

Em Sinop
- Av. das Acácias, 465 - Centro· (66) 3531-4487

Em Cáceres
- R. das Scaf, 235 - Cavalhada I · (65) 3222-1717

Em Tangará da Serra
- R. Néftes de Carvalho, 563 S - Jardim Rio Preto · (65) 3325 – 3384

SITUAÇÃO DE CALAMIDADE

Em pouco mais de uma semana, mais de 400 municípios gaúchos tiveram bairros inteiros engolidos por uma chuva que não parava de cair. A maior tragédia climática da história do Rio Grande do Sul já afetou mais de 2,1 milhões de pessoas.

O número de mortes provocadas pelas enchentes no Rio Grande do Sul voltou a subir na última quinta-feira, 16, segundo a última atualização da Defesa Civil estadual. São 151 óbitos até agora. O número de municípios atingidos pela tragédia chegou a 458, seis a mais que na quarta-feira, 15.

O número de pessoas afetadas pelos temporais também subiu: são 2,2 milhões de moradores do Estado atingidos de alguma maneira. Mais de 77 mil buscaram abrigos desde o início das chuvas no final de abril. Só nas últimas 24 horas, 619 pessoas precisaram ir para abrigos montados no estado.

A situação deverá continuar se agravando, conforme alerta do governador Eduardo Leite. Após a destruição de casas e comércios pela cheia do Guaíba, moradores de Porto Alegre convivem com as consequências da água, que atingiu o maior nível já registrado desde 1941. Agora são vistos animais mortos e há esgoto exposto. O mau cheiro está impregnado nas ruas dos bairros Menino Deus, Cidade Baixa e Centro Histórico.

 

CLIQUE AQUI e faça parte do nosso grupo para receber as últimas do Noticia Max.

0 Comentários