Cuiabá, 19 de Julho de 2024
Notícia Max
19 de Julho de 2024

CIDADES Quarta-feira, 14 de Dezembro de 2016, 07:25 - A | A

Quarta-feira, 14 de Dezembro de 2016, 07h:25 - A | A

BARRA DO GARÇAS

Vereadores em MT aprovam verba indenizatória quase 4 vezes maior

Valor pago aos vereadores de Barra do Garças deve subir para R$ 6,6 mil. Do total de 15 vereadores, apenas um parlamentar votou contra o projeto.

G1-MT

Projeto foi aprovado nesta terça-feira (13) com 10 votos favoráveis (Foto: Konrad Felipe Hencke/Câmara de Barra do Garças

A partir de 2017, os vereadores do município de Barra do Garças, a 516 km de Cuiabá, devem receber verba indenizatória quase quatro vezes maior que o valor pago atualmente aos parlamentares. O reajuste foi aprovado durante sessão ordinária nesta terça-feira (13), com 10 votos favoráveis. Do total de 15 vereadores, apenas um foi contra o aumento.

 

Com a aprovação do projeto, os parlamentares passarão a receber R$ 6,6 mil de verba indenizatória. Atualmente, o valor pago é de R$ 1,7 mil. O projeto que aumenta o repasse é de autoria de cinco vereadores, entre eles, o presidente da Casa de Leis, Miguel Moreira (PDT).

 

Para ele, o valor pago está defasado desde o pleito anterior e precisava ser revisto. No entanto, ele não quis comentar o valor do aumento. Moreira cumpre o sexto mandato e foi reeleito.

 

No projeto, os vereadores justificam que o dinheiro deve ser utilizado, por exemplo, para o pagamento de serviços postais, deslocamentos dentro do município e aquisição de material não oferecido pela Câmara.

Ao todo, somando o salário de R$ 8 mil e a verba indenizatória, cada vereador deve receber cerca de R$ 14, 6 mil por mês. De acordo com o projeto, o vereador não precisa fazer a prestação de contas das despesas pagas com o dinheiro da verba indenizatória.

 

O vereador Odorico Cardoso (PT) votou contra o aumento e chamou o projeto de injusto. “Não é certo aprovar um aumento de verba indenizatória sabendo que os servidores públicos não vão ter aumento. Votei contra, porque é injusto com a saúde que não tem remédio e com a educação que foi sucateada”, declarou.

 

Segundo Cardoso, o projeto de lei tramitou com urgência urgentíssima na Casa de Leis e foi aprovado durante a madrugada.

 

 

CLIQUE AQUI e faça parte do nosso grupo para receber as últimas do Noticia Max.

0 Comentários