Cuiabá, 18 de Maio de 2024
Notícia Max
18 de Maio de 2024

INTERNACIONAL Quarta-feira, 14 de Setembro de 2016, 09:13 - A | A

Quarta-feira, 14 de Setembro de 2016, 09h:13 - A | A

DESTRUIÇÃO

Coreia do Norte registra piores inundações de sua história

G1

A passagem do tufão Lionrock no início deste mês provocou as piores inundações na história da Coreia do Norte, com "centenas de mortes e desaparecidos", afirmou nesta quarta-feira (14) a rádio pública norte-coreana "KCBS".

 

Segundo o veículo norte-coreano, as inundações afetaram especialmente a província de Hamgyong do Norte, no nordeste do país, deixando 68,9 mil desabrigadas, além de ter danificado 11,6 mil imóveis.

 

A emissora "LKCBS" afirmou que cerca de 180 estradas foram danificadas pela água, da mesma forma que 60 pontes, no que foi classificado como o pior desastre "desde a libertação do domínio colonial do Japão (que controlou a península entre 1910 e 1945)".

 

O tufão Lionrock bateu com dureza as províncias de Ryangang e Hamgyong do Norte entre os dias de 29 de agosto e 2 de setembro com intensas e pesadas chuvas.

 

Dada a natureza extremamente sigilosa da Coreia do Norte, muitas vezes é difícil conhecer em tempo real e de maneira confiável o alcance desse tipo de desastre.

 

No início desta semana, o Escritório para a Coordenação de Assuntos Humanitários da ONU (OCHA, sigla em inglês) e a Cruz Vermelha publicaram dados que puderam confirmar as inundações.

 

Os números falam de pelo menos 133 mortos e 395 desaparecidos e que cerca de 140 mil pessoas necessitam de assistência urgente, enquanto outras 600 mil sofreram com escassez de água.

 

Além disso, cerca de 16 mil hectares de terras agrícolas teriam ficado inundadas, o dobro do estimado inicialmente pelo governo norte-coreano.

 

As inundações se agravaram na Coreia do Norte nas últimas duas décadas devido ao intenso desmatamento que sofreu o país ao transformar muitos lotes de terra em superfícies cultiváveis durante a grande crise de fome no final da década de 1990.

CLIQUE AQUI e faça parte do nosso grupo para receber as últimas do Noticia Max.

0 Comentários