Cuiabá, 21 de Maio de 2024
Notícia Max
21 de Maio de 2024

POLÍCIA Quarta-feira, 05 de Outubro de 2016, 09:31 - A | A

Quarta-feira, 05 de Outubro de 2016, 09h:31 - A | A

CUIABÁ

Açougueiro acusado de matar professor a facadas vai a júri

G1-MT

FOTO: REPRODUÇÃO FACEBOOK

 

O açougueiro Adelmo Macedo de Oliveira, de 33 anos, acusado de ter assassinado a facadas o professor de educação física Nino Francisco da Silva, de 45 anos, deve ir a júri no dia 11 de outubro, às 13h30, no Fórum da capital. O crime aconteceu no dia 10 de dezembro de 2015, na casa da vítima, no bairro Residencial Aricá. O réu confessou o crime e disse que mantinha relacionamento com a vítima.

 

Adelmo, que está preso no Centro de Ressocialização de Cuiabá, será julgado por homicídio qualificado - cometido por motivo fútil e com dificuldade de defesa da vítima.

 

O Ministério Público acusa Adelmo de ter assassinado o professor por causa de um desentendimento a respeito de preferências na relação sexual. Vítima e acusado, segundo Adelmo, mantinham um relacionamento havia pouco mais de um ano.

 

Os dois tinham passado o dia na casa de Nino e ingeriram bebida alcoólica. O crime foi cometido à noite, depois que os dois iniciaram uma discussão. Conforme a acusação, Adelmo pegou uma faca e atacou Nino. E, para evitar que vizinhos ouvissem os gritos de socorro da vítima, ele fechou as portas e janela e aumentou o volume do aparelho de som, diz o MPE.

 

Ainda assim, vizinhos conseguiram ouvir o professor e chamaram a Polícia Militar. Quando os PMs chegaram a casa estava com objetos quebrados e marcas de sangue espalhadas. Nino ainda estava vivo, mas morreu em cima da cama, antes que o socorro médico chegasse ao local. Adelmo foi preso em flagrante

 

Nino Francisco dava aula na Escola Municipal Osmar José do Carmo Cabral, no bairro Osmar Cabral, na capital. Ele chegou a ser diretor da unidade e foi um dos articuladores do programa Mais Educação na escola.

 

CLIQUE AQUI e faça parte do nosso grupo para receber as últimas do Noticia Max.

0 Comentários