Cuiabá, 15 de Julho de 2024
Notícia Max
15 de Julho de 2024

AGRONEGÓCIO Quarta-feira, 23 de Novembro de 2016, 16:30 - A | A

Quarta-feira, 23 de Novembro de 2016, 16h:30 - A | A

NOVO CANGAÇO

Polícia Civil prende 4 por furto de agência bancária em Pontes e Lacerda

DA: Redação

Reprodução

Quatro pessoas foram presas por furto qualificado de uma agência do Banco do Brasil de Pontes e Lacerda (448 km a Oeste), ocorrido na madrugada do dia 13 para 14 de novembro deste ano. Com conhecimento do Sistema de Segurança, os criminosos fizeram um buraco na parede do corredor que dá acesso a sala do cofre, que foi arrombado com uso de ferramentas como maçaricos, pé de cabra e outras. As prisões foram efetuadas na terça-feira (22) e o flagrante finalizado nesta quarta-feira (23). 

Os bandidos desligaram o alarme da agência e retiraram o aparelho de gravação, que depois foi jogado no rio. Um pescador encontrou o equipamento e entregou a Polícia Militar, que encaminhou para a Delegacia da Polícia Civil. “Começamos a investigação por aí e fomos identificando os bandidos no começo desta semana”, disse o delegado Gilson Silveira do Carmo. 

Foram presos Alex Rodrigo Barbosa, 26 anos, apontado como mentor do furto,  Simone Virginia Castro Brasão, 23, que é companheira de Alex, e teria atuado na distribuição do dinheiro; Andersen Pacheco de Carvalho, 39 anos, tendo participado diretamente do furto; e Wagner Silva Costa.

 

Quando preso, o suspeito Alex foi encontrado em seu veículo com um maço de notas de R$ 20,00 molhadas, que o foram identificadas como pertencentes ao banco, pelas marcas nas cédulas.  

 

Durante a ação, que culminou nas prisões, os policiais quando chegaram a casa de Wagner Silva Costa, conhecido por Vaguinho, foram recebidos a tiros por Igor Paulo Rodrigues da  Silva, 20 anos, que também chegava naquele momento com 1 quilo de entorpecente. O traficante estava armado e na troca de tiros com os policiais ele acabou morto. “Fomos lá para prender ‘Vaguinho” e encontramos Igor chegando”, contou o delegado.

 

O suspeito morto tinha uma vasta ficha de antecedentes criminais como sequestro, roubos, receptação e quando menor ficou internado para cumprimento de medida socioeducativa.

 

De dentro do cofre, além do dinheiro, os bandidos levaram  oito revólveres da empresa de segurança Brinks, que presta serviço à agencia.  Conforme o delegado, Gilson Silveira, a identificação dos bandidos ocorreu depois que a Polícia Militar, durante abordagens de rotina, conduziu a Delegacia uma pessoa que estava na posse de um revólver furtado da agência. “A partir daí chegamos ao mentor do furto, Alex e aos demais integrantes da quadrilha”, explicou o delegado Gilson.

 

O delegado também esclareceu que os bandidos, Alex, Simone e Andersen, são do Estado do Pará, e estavam associados a outros criminosos na região para prática de crimes de roubo e tráfico de drogas. A quadrilha também é suspeita de outros crimes cometidos da mesma forma. Entre eles, um furto em uma igreja evangélica.

 

As investigações ainda tentam identificar outros 3 ladrões que participaram do furto. A Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) está dando apoio na identificação dos criminosos.

 

Os presos responderão por crime de furto qualificado, associação criminosa e tráfico de drogas.

 

Difusão do dinheiro

 

Nas investigações, a Polícia Civil apreendeu uma caminhonete Hilux 0 km, que nem saiu da concessionária na cidade de Cáceres. O veículo foi comprado à vista pelo valor de R$ 190 mil. Também foram apreendidos celulares novos, televisores smart de 60’, comprados pelos criminosos, possivelmente, com o dinheiro roubado.

 

Assessoria | PJC-MT

 

CLIQUE AQUI e faça parte do nosso grupo para receber as últimas do Noticia Max.

0 Comentários