Cuiabá, 21 de Maio de 2024
Notícia Max
21 de Maio de 2024

CIDADES Segunda-feira, 18 de Julho de 2016, 14:28 - A | A

Segunda-feira, 18 de Julho de 2016, 14h:28 - A | A

GESTAÇÃO

A importância da alimentação saudável durante a gravidez

Grazielle Milas

 

O período gestacional é um dos momentos mais esperados pelas mulheres que tomam a decisão de ter um filho. Dentre as dúvidas frequentes que surgem nessa fase, uma das que mais requer atenção é sobre alimentação. 

A alimentação de modo geral deve ser saudável, porém, o período de gestação requer uma maior atenção por parte das futuras mamães. Durante esta fase ocorrem várias combinações fisiológicas que afetam todo o metabolismo de nutriente no corpo da mulher, e o peso do bebe ao nascer é totalmente influenciado pelo estado nutricional e a alimentação no decorrer da gravidez, ou seja, é uma fase que requer cuidado. 

De acordo com a nutricionista Kenya Molina, alguns alimentos são muito importantes e indispensáveis nessa fase. “Os alimentos que merecem destaque são os ricos em Cálcio, Ferro, Ácido Fólico, Zinco, Magnesio e vitaminas A, C, D, E”. 

 A nutricionista também esclarece que em alguns casos existe a necessidade de suplementar a alimentação. “Em alguns casos é necessário a suplementação, como no caso do Ácido Fólico e o Ferro, já que nesse período a quantidade recomendada é maior, sendo difícil atingi-las apenas com alimentação.” Explica. 

Grávida de cinco meses,a professora Kassiane Giordane conta que precisou fazer mudanças em sua alimentação durante esse período. “Comecei a introduzir mais frutas nos intervalos das refeições, hábito esse que eu não tinha antes da gravidez, mas que tem me ajudado muito. Achoimportante cuidar para que a gravidez seja o mais saudável possível, afinal, é um momento muito especial”. 

A nutricionista explica que a dieta de cada gestante depende do seu estado nutricional antes da gestação, e que ter um acompanhamento nutricional durante a gravidez é fundamental. “Durante esse período ocorre um aumento metabólico, e para que ele possa ser suprido é necessário ter um acréscimo de em média 300 calorias/dia a partir do segundo trimestre da gestação. A dieta deve ser individualizada de acordo com o estado nutricional da grávida antes da gestação, conforme os fatores genéticos e estilo de vida da mãe. A busca por um nutricionista para acompanhar a gestação durante o pré-natal auxilia nos ajustes necessários que essa fase requer”, finaliza Kenya. 

Confira os principais nutrientes a serem consumidos em todas as fases da gestação 

Cálcio: Relacionados com a formação dos ossos e dentes do bebê, o cálcio é encontrado em alimento como: leite, iogurte, queijo, agrião, alface, aveia, salsa, salsão, entre outros.

Ferro: A deficiência desse mineral pode levar a anemia, parto prematuro e nascimento de crianças com baixo peso, seu consumo deve ser associado a alimentos ricos em vitamina C que auxilia na absorção. O ferro é encontrado em alimentos como: fígado de boi, carne bovina e de aves, gema de ovo de galinha, banana prata, espinafre, brócolis, couve, tofu, mariscos e ostras, leguminosas, couve, melado de cana, entre outros.

Ácido Fólico: Geralmente o ácido fólico é suplementado antes da gestação e durante o primeiro trimestre. le auxilia a formação do tubo neural da criança. O ácido fólico é encontrado em alimentos como: fígado, lentilha, tomate, cogumelo, ervilha, brócolis, espinafre cozido, feijão branco, carne bovina magra, aspargo, levedura de cerveja, laranja, repolho, entre outros.

Zinco: Tem como função regular o desenvolvimento cerebral durante a fase fetal e pós fetal, evita má formação congênita e também é um dos responsáveis pelo funcionamento do sistema imune. O Zinco é encontrado em alimentos como: carnes, ovos, leite, frutas secas, cereais integrais, nozes, peixes, aves, leguminosas, entre outros.

Magnésio: Evita a pré-eclampsia. É encontrado em alimentos como: cereais integrais, oleaginosas, folhosos verde-escuros, derivados do leite e frutos do mar.

Vitamina A: Evita a imunodeficiência. Alimentos ricos em vitamina A são: fígado, leite integral em pó, queijo, abóbora, azeite de dendê, manga, cenoura, mamão, pimentão, espinafre, couve, agrião, entre outros.

Vitamina C: Evita sangramento na gengiva e parto prematuro. É encontrado em alimentos como: acerola, goiaba, morango, manga, laranja, mamão, pimentão, bertalha, espinafre, couve, entre outros.

Vitamina D: Evita hipocalcemia neonatal, pré-eclampsia, raquitismo e baixo peso ao nascer. Embora denominada como vitamina, ela é um hormônio esteróide, que o organismo pode produzir sobre circunstâncias ideais, a exposição ao sol sem filtro solar por um determinado período de tempo é o principal mecanismo para sua produção.  Porém, pode ser encontrada em alimentos como:arenque, salmão, sardinha enlatada, fígado de frango, gema de ovo.

Vitamina E: Para evitar anemia hemolítica em prematuros, atua como antioxidante e ajuda a defender as células. É encontrada em alimentos como: sementes, amêndoas, amendoim, gema de ovo, abacate, espinafre, grão de soja, óleo de germe de trigo, óleo de girassol.

Alimentos ricos em fibras também merecem destaque, principalmente nos estágios finais da gestação, onde se é frequente a constipação intestinal, sendo também importante a ingestão hídrica.

EVITE

Evite adoçantes e produtos dietéticos, porém, podem ser consumidos com moderação por gestantes obesas e diabéticas; deve-se evitar o consumo de alimentos gordurosos (frituras, pastéis); deve-se evitar alimentos ricos em açúcar (doces, balas, chocolates e refrigerantes); limitar a ingestão de sal; evitar o excesso de cafeína (para evitar abortos espontâneos); evitar jejuns prolongados, pois pode causar Cetose, prejudicando o desenvolvimento cerebral do feto; evitar fumo, bebidas alcoólicas, carnes, ovos e peixes crus.

 

 

CLIQUE AQUI e faça parte do nosso grupo para receber as últimas do Noticia Max.

0 Comentários