Cuiabá, 18 de Maio de 2024
Notícia Max
18 de Maio de 2024

CIDADES Segunda-feira, 04 de Julho de 2016, 15:38 - A | A

Segunda-feira, 04 de Julho de 2016, 15h:38 - A | A

PARALISAÇÃO PODE SER RETOMADA

Justiça revoga decisão e considera greve da Educação em VG legal

Da Redação

Sintep/VG

 

O desembargador Márcio Vidal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) reconsiderou a própria decisão e declarou a greve dos servidores da Educação de Várzea Grande lega,  que a mesma não foi abusiva. O parecer foi emitido nesta segunda-feira, (04.07).

A declaração do Desembargador reconsiderou a decisão anterior com base nos documentos apresentados pela assessoria jurídica do Sintep VG. Para a direção do Sindicato, a decisão do desembargador comprova que tudo que o Sintep disse para a população era verdade. “Agora queremos o reparo imediato da injustiça”, afirma a presidenta em exercício, Leiliane Borges.

Para a Secretária Geral do Sintep/VG, Aparecida Cortez, a prefeita Lucimar precisa imediatamente pagar os dias de paralisação que foram abusivamente cortados  dos salários dos servidores. “Essa é uma medida que visa assegurar as condições mínimas diárias dos que lutaram por seus direitos. Para quem ganha R$ 900,00, o corte de um dia de salário tem um impacto profundo na subsistência das pessoas. A prefeita Lucimar com seus R$ 38 mil de salários e os Secretários Cesar Miranda e Silvio Fidélis precisam tomar  postura de estadistas, do alto dos super salários que recebem e do mal que fizeram ao cortar os salários dos funcionários de escola”, aponta.

A direção está estudando, junto com assessoria jurídica, quais são as possibilidades de ação diante da decisão do desembargador e aguarda, também, a resposta ao pedido junto ao Tribunal de Justiça para a realização audiência de conciliação com a Prefeitura, uma vez que a mesma, todo esse tempo, fez vistas grossas e descaso da categoria e também descaso do Tribunal de Justiça.

A presidenta do Sintep VG  não descartou a possibilidade que a categoria retome a greve nos próximos dias. “O decisão da justiça mostrou que essa administração não merece o voto de confiança da população. Aguardamos também que com a decisão seja restabelecido os direitos dos professores e funcionários, o atendimento imediato das reivindicações e, principalmente, o devolução imediata dos salários cortado e que de fato ocorra a negociação sem que seja preciso retomar greve. Mas, se for preciso A categoria vai retomar greve imediatamente”, frisa a professora Leiliane.

 

CLIQUE AQUI e faça parte do nosso grupo para receber as últimas do Noticia Max.

0 Comentários