Cuiabá, 28 de Maio de 2024
Notícia Max
28 de Maio de 2024

POLÍCIA Segunda-feira, 20 de Junho de 2016, 12:20 - A | A

Segunda-feira, 20 de Junho de 2016, 12h:20 - A | A

ESTUPRO DE VULNERÁVEL

Segurança é preso por estupro de menina em condomínio de Cuiabá

GD

 

REPRODUÇÃO

 

 

O segurança de uma empresa terceirizada, que presta serviço em um condomínio, em Cuiabá, foi preso neste domingo (19), acusado de tentativa de estupro contra uma menina de 10 anos. W.S.C.S, 35, teria "apertado" as nádegas e abraçado a criança, enquanto ela brincava de "plantar bananeira". Crime ocorreu no condomínio São Lourenço, no Jardim Imperial.

 

Familiares denunciaram o segurança quando a criança chegou em casa aos prantos, chorando tanto que mal conseguia contar o que havia ocorrido.

 

Segundo uma tia da menina, a criança contou que um homem apertou e abraçou por alguns segundos suas nádegas, depois de mandar que ela "plantasse bananeira", ou seja, ficasse com o tronco e pernas para cima, apoiada em uma parede.

 

A "brincadeira" teria ocorrido em uma cozinha do condomínio, no final da tarde, quando a menina, J.E.F, 10, e amiguinhas se divertiam. Antes, a criança disse que brincava no playground, fazendo os mesmos movimentos da "cambalhota".

 

Quando foi até a cozinha, com a amiga de 9 anos, beber água, o segurança entrou e pediu que ela repetisse a "bananeira". A amiguinha já tinha saído.

 

Conta a menina, que ela realizou o movimento e se apoiou na parede, e que o segurança se aproximou, e com as duas mãos e força, apertou suas nádegas e a abraçou.

 

Depois do ato ela saiu correndo para casa e chegou chorando. Quando a tia ouviu o relato, ainda sem saber quem havia abusado da sobrinha, saiu a procura de ajuda, e se deparou com o segurança, que estava em uma motocicleta realizando a ronda, e foi logo dizendo que a criança tinha entendido errado.

 

Ele foi levado por outro segurança para guarita, onde foi preso por policiais militares. O segurança alegou que trabalha há 15 dias no condomínio, e que antes estava em outro residencial, e que apenas pediu para que a criança tirasse os pés da parede. Negou o abuso. Ele foi autuado por tentativa de estupro de vulnerável, artigo 217A, do Código Penal, pelo delegado plantonista da Central de Flagrantes e aguardará decisão da Justiça.

CLIQUE AQUI e faça parte do nosso grupo para receber as últimas do Noticia Max.

0 Comentários