Cuiabá, 18 de Junho de 2024
Notícia Max
18 de Junho de 2024

AGRONEGÓCIO Sexta-feira, 21 de Maio de 2021, 14:09 - A | A

Sexta-feira, 21 de Maio de 2021, 14h:09 - A | A

EM ABRIL

Levantamento feito pelo Conab aponta que frutas tiveram queda de preço

Só o mamão teve baixa de 40%. Laranja e melancia equilibraram preços

Agrolink

De acordo com levantamento do boletim Prohot, da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) os preços da maioria das frutas analisadas teve queda em abril. São elas banana, maçã e mamão. Já laranja e melancia tiveram variações entre altas e baixas nas principais centrais de abastecimento do país. Veja abaixo o desempenho:

Banana

Ocorreu queda de preços na maior parte das Ceasas, aumento da oferta da banana nanica Vale do Ribeira (SP), e a queda da produção de banana prata – Janaúba (MG), em meio à demanda fraca decorrente da renda da população em queda e das restrições decorrentes da pandemia. As exportações ensaiaram uma melhora, notadamente para o Mercosul. Baixa superior a 21% em Brasília (DF).

Laranja

Ocorreu queda da comercialização conjugada à variação suave das cotações, tanto no sentido de alta quanto de baixa, mesmo em meio à aceleração da colheita das laranjas precoces no cinturão citrícola, à queda da demanda e dos efeitos da pandemia sobre o comércio. As exportações se aceleraram e há boas perspectivas por causa de quebra de safra na Flórida. Baixas acima de 5% em Curitiba (PR) e Rio de Janeiro (RJ) e alta de 12% em Brasília (DF).

Maçã

O mês foi marcado pela continuidade da queda de preços e aumento da oferta nas regiões produtoras, com a intensificação da colheita da variedade fuji. Houve controle da oferta para o atacado, com o uso de câmaras frias para guardar a produção e fazer frente à fraca demanda no varejo. As exportações tem sido uma boa opção para médios e grandes produtores. Queda em oito das nove Ceasas analisadas. Alta somente em Goiânia (GO), de 2%.

Em relação às frutas comercializadas na Ceagesp – São Paulo, também no mês de abril em relação a março, destacaram-se na redução das cotações a seriguela (-32%), o caqui (-29%), a tangerina e a manga (-26%), seguidas por figo e limão, ambos com (-22%). Também houve redução no preço da jabuticaba (-19%), pitanga (-17%), acerola (-16%) e kiwi (-14%).

Mamão

Houve aumento da produção, principalmente da variedade papaya capixaba e baiana, que não foi tão absorvida no atacado porque a demanda continuou fraca. Perdas foram registradas em regiões produtoras, além de queda na rentabilidade dos produtores. As exportações se consolidaram como boa opção aos produtores, mesmo com os obstáculos trazidos pela pandemia. Baixa de 40% em Vitória (ES) e de 38% em São Paulo (SP).

Melancia

Houve registro de queda da oferta aliada à alta de preços na maioria das Ceasas, em decorrência da menor colheita nas principais regiões produtoras no mês (regiões paulistas e do sul baiano). Isso ocorreu mesmo com restrições de renda e de demanda, além de impedimentos para a abertura de comércios em alguns centros, com o intuito de combater a pandemia. Queda somente em Brasília (DF) e Rio de Janeiro (RJ). Alta de 14% em Belo Horizonte (BH).

CLIQUE AQUI e faça parte do nosso grupo para receber as últimas do Noticia Max.

0 Comentários